Cachorros na Suiça

novembro 22, 2016

Em 2010 quando eu trouxe o Juca para a Suíça, escrevi este post aqui (Como trazer meu cachorro para a Europa) e acreditem, é um dos posts mais acessados deste blog. Eu nunca poderia imaginar que tantas pessoas se encontrariam na mesma situação que eu, querendo trazer seu bichinho de estimação para a Europa e fosse cair de paraquedas no meu post. Fico muito feliz de ajudar com as informações que postei lá, mesmo variando algumas informações de país a país, já dá uma ideia do procedimento que é preciso seguir. Porem, depois disso já recebi vários Emails e mensagens perguntando: sim, você levou o Juca, fez o passaporte dele como falou lá no post, e aí? Como é a vida, a criação do cachorro aí na Suíça?

img_7651

Até cheguei a escrever um post (na antiga tag PDF – Perguntas e Dúvidas Frequentes) sobre cachorros em lugares fechados, mas não basta. Tem muito mais a dizer, e esse post nunca veio. Até hoje! Finalmente estou aqui novamente tentando tirar a poeira do blog e dar de novo um ritmo a ele com posts frequentes, e o assunto veio a calhar. Já tinha 2 posts sobre esse assunto aqui no rascunho, então resolvi juntar tudo e fazer esse aqui, resumindo mais ou menos como é então a vida com cachorro na Suíça, como são as regras, etc. E agora o Juca já vive aqui há quase 7 anos então acho que já temos experiência suficiente para tal! Hehehe.

img_1229

Bem, ao chegar na Suíça trazendo seu cãozinho, como eu falei no post mencionado acima, é preciso leva-lo a um veterinário, verificar se ainda há vacinas a serem dadas, tirar o passaporte que também é o cartão de vacinas do animal, e estando tudo em ordem, seguir para as obrigações, primeiramente, registra-lo na cidade onde você mora. Eu conto logo abaixo o passo a passo.

img_0383

Deveres

1- Registro

Assim como os humanos, os cachorros precisam ser registrados na Gemeinde (ou comunidade/cidade) onde você mora. Recentemente a base de dados onde esse registro era feito mudou e agora se chama Amicus (http://www.amicus.ch).

amicus-logo

O registro no Amicus do seu animal porém só pode ser feito por um veterinário. Essa parte é meio complicada e ninguém sabia explicar direito como eu deveria proceder, cada um dizia uma coisa, então vou explicar como eu fiz. Fui no veterinário com o passaporte e os dados de Juca e uma identificação minha, ele registrou no Amicus, e eu tive que enviar a cópia da minha permissão de residência suíça e a cópia do passaporte de Juca ao Amicus (por Email mesmo). Alguns dias depois recebi uma carta do Amicus confirmando o registro na comunidade e os dados para acessar nossa conta no site Amicus. Disseram também que eu poderia fazer o registro direto na comunidade e não enviar a documentação ao Amicus por Email, mas achei a forma eletrônica mais rápida do que ir na Gemeinde.

É no Amicus também onde deve ser comunicada qualquer mudança no status do bichinho, como mudança de dono, exportação, a morte de um animal, por exemplo. Caso aconteça uma fatalidade, é preciso fazer o desregistro do cachorro e todo o procedimento formal, com atestado de óbito, cancelamento do imposto e tudo, quase como uma pessoa, não é mesmo?

img_7057

2- Imposto

Com o registro, você deverá pagar imposto também para seu cachorro. Eu comentei aqui neste post que aqui na Suíça se paga imposto pra tudo, inclusive para os animais de estimação! Não é nada de outro mundo, o valor depende do tamanho do cachorro. Para Juca que é um Yorkshire de quase 7kg pago 100 francos por ano.

img_5181b-002

Por todas as ruas vemos lixeiras próprias de cachorro com saquinhos coloridos de acordo com a cidade, e essa organização toda tem um preço. De nada adiantaria isso se a população não seguisse. Aqui a cultura é essa e tudo funciona muito bem. Não se vê cocô de cachorro no chão.

img_6803

3- Adestramento

Falando já em organização, não tem como falar no comportamento dos cachorros aqui que é notavelmente diferente. Estou escrevendo esse tópico na seção aqui de “Deveres” porém não é obrigatório adestrar os cães aqui. Porém QUASE TODO mundo que tem um cachorro aqui, o adestra. Isso para poder inclui-lo na rotina. E sobre isso falo mais a frente na seção “Direitos”. Há várias escolas de adestramento na Suíça (em Alemão: Hundeerziehung) e as aulas não são baratas. Porém os suíços vêem isso como um direito do cachorro e um dever seu, e quase uma obrigação. Não me admiro. Porém confesso que as vezes alguns cães aqui parecem não só muito bem adestrados, mas tambem meio tristes.

4- Vacinas

Essa é de praxe, em qualquer lugar que você more no mundo. É preciso estar com as vacinas do bichinho em dia. A Suíça é um país rabies-free, que quer dizer, “livre da raiva”, ou seja, vacina contra raiva não é obrigatória. Apenas se o cachorro for viajar para algum lugar onde o país não seja rabies-free, como o Brasil, por exemplo, pode-se dar a vacina antes de deixar a Suíça. Daí tem todo um procedimento que dá um post. Aqui o Juca toma vacina anual que é um combo contra várias doenças – hepatite, leptospirose e outras. Além disso dou remédio uma vez por ano contra verme.

img_7055

Direitos

1- Estabelecimentos dogs friendly

Tanto sobre deveres, agora vamos aos direitos. Como falei no post que comentei acima, aqui os cachorros são aceitos em lugares fechados, como restaurantes e lojas. Normalmente há um adesivo na porta do estabelecimento, caso o animal não seja permitido, como em supermercado, por exemplo. Compreensível. Já pensou o cachorro cheirando as frutas e verduras? Hahaha! Mas onde o cachorro não é permitido entrar geralmente tem espaço para prende-lo do lado de fora, e esperar seu dono voltar.

img_2607

Eu confesso que achava isso muito esquisito no início. Entrar no mercado e deixar Juca do lado de fora esperando? E se alguém levar? Pensamento de brasileiro. Aqui ninguém leva nada, muito menos um cãozinho. Não se esqueça que aqui TODOS os cachorros têm chip e se você roubar um cachorro que não é seu, ele estará carregando em si os dados do dono. Assim que chegamos no veterinário a primeira coisa que ele faz é “ler” o Juca. Passa uma máquina nele para ler o chip que ele tem dentro dele e lá aparecem todos os meus dados. Aqueles que foram registrados na comunidade e no Amicus.

dsc03569

dsc06471

Alguns estabelecimentos são tão “dogs friendly” que levam até água para ele enquanto jantamos/almoçamos, caso seja um restaurante. Cachorros aqui são bem respeitados e levados a sério. São aceitos em várias empresas no ambiente de trabalho (com prévia autorização, obviamente) e talvez por isso vivam tanto tempo.

2- Transporte

Vemos também por aqui várias pessoas com cachorros-acompanhantes (Begleithunde), raças específicas e treinados para acompanhar pessoas com deficiências, como cegos, por exemplo. Eles têm prioridade e não pagam transporte público. Falando em transporte público, cachorros até 30cm não pagam para andar de transporte público. Ônibus, tram, trem. Juca não paga para andar em nada. Porem no trem recomendam que cachorros menores que não pagam bilhetes andem em bolsas específicas.

20130705_173541

20130705_173553

Existe até abonamentos/passes de trem específico para cachorros. Transporte público na Suíça não é barato, então conseguir reduzir o transporte do animal é vantagem, com certeza.

 

Falando em direitos, é preciso observar bem as regras também. Nem todos os prédios residenciais por exemplo aceitam cachorros. Alguns só aceitam gatos, outros nada, outros cão e gato. É preciso sempre ver as regras do prédio com a imobiliária antes de fazer negócio. Eu na mudança recente da gente, enquanto procurava apartamento, só selecionava aqueles onde eram permitidos cachorros, senão já descartava. Regra é regra, não tem negociação.

Juca não foi adestrado, chegou a Suíça com 6 anos. Já está com 13 e se comporta bem. Claro que preciso repetir alguns comandos várias vezes, diferente do que seria se ele tivesse sido adestrado. Mas com a idade que ela tá está bom demais. Ele é muito obediente e companheiro. Aqui temos uma qualidade de vida tão boa que não sei como não é assim em todo lugar. São muitas regras mas para viver civilizadamente, com educação e respeito incluindo os animais não tem nem o que discutir. Uma das melhores decisões que fiz na vida foi decidir trazer Juca do Brasil pra viver aqui comigo e ser até hoje tão companheiro, incluindo do Edi.

Comentários Facebook

Posts relacionados:

3 Comentários
  1. Gabi

    sexta-feira, dezembro 9, 2016 at 11:29 am /

    Liana, esse post veio em boa hora. Moro aqui em Berna e estou prestes a adotar um cão. Já fiz bastante pesquisa então a maioria das coisas estou por dentro, mas nada como ver tudo em português, minha língua, pra saber que entendi tudo direitinho, hehe. E essa parte de que cães menores não pagam transporte eu não sabia. Já tinha dado uma olhada no preço do GA para cachorro. Para 2017 estará em torno de 800 francos. Pergunta: quando você viaja para fora, você deixa o Juca com conhecidos? Eu pesquisei alguns hoteizinhos, e considerando o preço das coisas aqui, até que achei eles bem pagáveis, mas não sei se são bons, se cuidam bem dos animais, etc. Um abraço!

    • Liana

      sexta-feira, dezembro 9, 2016 at 5:42 pm /

      Oi Gabi, sim eu deixo ou com alguem que conheco ou em um tierheim em Belp que ja conheco ha muitos anos, ja que voce mora em Berna tambem de uma olhada: http://www.tierferienheim-belp.ch/de

  2. Gabriel Morais

    sábado, dezembro 17, 2016 at 12:50 am /

    Olá boa noite.

    Quero saber se há um meio menos complicado de trazer minha filhota uma mini podle toy do Brasil para a Suíça. Sei que há um custo. Mas o problema é o tempo. Se alguém souber de algo menos difícil agradeço.