San Marino, o micropaís dentro da Itália

setembro 15, 2017

A medida que a gente vai morando há mais tempo na Europa e conhecendo os países do continente, vai também por consequência aprimorando nosso conhecimento em história do mundo. Pesquisando opções de destino na Itália há algum tempo atrás, me deparei um dia com uma região no mapa delimitada mais forte que as outras: era um país. Mas ainda era Itália, então como podia ser?

 

Minha curiosidade ficou aguçada! Ao começar a pesquisar sobre mais essa possível viagem, descobri tanta coisa que não sabia e o fato de ser um dos menores países do mundo não tirou minha motivação de ir lá conhece-lo, pelo contrário. Eu já conheci alguns dos menores países da Europa como Liechtenstein, Luxemburgo, Malta. San Marino não só é um dos menores países da Europa (3. menor), como é o 5. menor país do mundo inteiro com apenas 61 km quadrados e uma população de 33 mil habitantes.

Mas então afinal, o que tem pra ver e pra fazer em San Marino? Fica dentro da Itália? Como é isso? Qual a sua história?

Calma que eu vou explicar 🙂 E espero que este post esclareça várias dúvidas como as que eu tinha no começo do planejamento da viagem e assim motive vários outros viajantes a tornarem San Marino um dos seus próximos destinos.

Reza a lenda que San Marino é a república mais antiga do mundo, fundada no início da Era Cristã, quando um pedreiro de nome Marinus que havia ajudado na reconstrução das muralhas de Rimini, foi ao alto do Monte Titano e fundou uma comunidade monástica independente no ano 301 depois de Cristo. Se isso é verdade eu não sei, e parece que não há documentos que vão tão longe no passado que comprovem isso. Mas algumas particularidades e fatos observados quando comecei a ler sobre o país deixa qualquer historiador ou amadora como eu intrigada.

Como por exemplo, a Constituição de San Marino que rege o país até hoje é escrita em latim e data do século 16. Claro que já sofreu alterações até chegar nos dias de hoje mas parece ser o conjunto de leis de origem mais antiga a existir num estado soberano do mundo que conhecemos hoje. Um país que permaneceu neutro durante as Guerras mundiais porém sofreu muitas ameaças à sua independência com o desenvolvimento do velho continente, conquista de terras e avanços de tropas de Napoleão Bonaparte.

Durante a unificação da Itália no século 19 que transformou o território no que conhecemos hoje do país, San Marino serviu de refúgio para muitos perseguidos políticos. Os importantes generais e líderes italianos que cumpriam seu papel durante essa transformação aceitaram a independência de San Marino como estado independente. E assim o país veio sobrevivendo de finanças, indústria, serviços e turismo até aqui.

Foram 3 dias em San Marino que passei com o Edi, numas mini férias que organizei entre o fim do período da creche e o início da escola. Fomos de trem aqui da Suíça até Milão, trocamos de trem em Rimini e lá pegamos um ônibus que sobe a montanha e nos leva até o país e que custa 5 euros. Não tem controle de fronteira.

San Marino fica no topo de uma colina, a quase 800m de altitude, então o ônibus de Rimini até lá é sempre subindo rodando. Não coma nada pesado antes de entrar no ônibus. A viagem dura cerca de 1 hora. Lá de cima vemos o resto da Itália. Era verão e na Itália o verão é escaldante. Mesmo sendo bem acima do nível do mar, o calor em San Marino estava praticamente igual à lá embaixo. Mas foi bom sentir calorão, coisa que aqui na Suíça é difícil.

Na prática San Marino é uma delícia de explorar. A moeda é o euro, o idioma é italiano. Hospedagem não tem erro, qualquer hotel fica mais ou menos bem localizado porque a cidade de San Marino é pequena. E para explorar nada melhor que as pernas e muita coragem. Tem ladeira, tem castelo lá no alto, ou seja, andar e muito. Uma coisa legal que percebi lá é que algumas coisas em San Marino são muito baratas, porque a demanda é muito grande. Isto é, um país muito pequeno com uma quantidade de lojas muito concentrada, então há de baixar o preço das coisas. Comprei óculos de marca lá com uma diferença de preço de mais de 100 euros em comparação com a Itália. No mais tudo bem equivalente à Itália no que diz respeito a preços.

A gente foi em Agosto, quando eu ainda estava fazendo o VEDA, o Vlog todo dia de Agosto que falei no post passado. Então fiz um video da gente chegando lá e do nosso dia de passeio:

No próximo post falarei com detalhes do que fizemos nos dias que passamos por lá.

Comentários Facebook

Related posts:

Um Comentário
  1. Mell Pimenta

    quinta-feira, setembro 28, 2017 at 2:52 pm /

    Adoro ler suas postagem. Tenho muita vontade conhecer ou até mesmo morar na Europa.